Um estudo publicado na revista Nature Geoscience, em 31 de outubro de 2023, traz uma nova causa para o inverno de 15 anos que provocou a extinção dos dinossauros há 66 milhões de anos. 

Segundo o estudo, o impacto do asteroide Chicxulub, que atingiu a península de Iucatã, no Golfo do México, lançou uma nuvem de poeira e detritos para a atmosfera. Essa nuvem teria bloqueado a luz solar, causando um resfriamento global e uma queda na temperatura média da Terra de até 15°C.

A hipótese de que o impacto do asteroide causou um inverno global é aceita pela comunidade científica há décadas. No entanto, o estudo publicado na Nature Geoscience fornece novas evidências que apoiam essa hipótese.

Os pesquisadores analisaram amostras de sedimentos marinhos coletados na costa da China. Essas amostras contêm grãos de silicato, que foram liberados pela pulverização da rocha durante o impacto do asteroide.


Os pesquisadores descobriram que a concentração de grãos de silicato nas amostras é muito maior do que o esperado para períodos de tempo anteriores e posteriores à extinção dos dinossauros. Isso sugere que uma grande quantidade de poeira e detritos foi lançada para a atmosfera após o impacto do asteroide.

Os pesquisadores acreditam que essa nuvem de poeira teria bloqueado a luz solar por cerca de 15 anos. Isso teria causado um resfriamento global, que teria levado à extinção de muitos organismos, incluindo os dinossauros.


O estudo publicado na Nature Geoscience é um importante avanço na compreensão da extinção dos dinossauros. Ele fornece novas evidências que apoiam a hipótese de que o impacto do asteroide Chicxulub foi a principal causa dessa extinção.

Além do inverno global, o impacto do asteroide também teria causado outros efeitos catastróficos, como tsunamis, incêndios florestais e mudanças no nível do mar. Esses efeitos teriam contribuído para a extinção dos dinossauros e de outros organismos. 

Instagram

Voltaire Pimentel - 01/11/2023